terça-feira, 2 de março de 2010

Primeiramente...

Bom,começo hoje com um dilema.
Um dilema não,mas um certa dúvida...
Hoje foi o primeiro dia da Ana Clara na creche.
Daqui a pouco o marido e eu vamos buscá-la, e está tudo bem (com ela, pelo menos).
Acho que liguei pra creche uma quatro ou cinco vezes, pra saber se estava tudo certinho. A diretora deve achar que eu sou louca!
Bom, estava tudo certinho em todas as vezes que eu liguei, e eu sabia que estaria. A Ana, como costumo dizer, é toda dada! Se adapta fácil, não tem frescura.
Mas aqui em casa ficou um vazio, o dia inteiro.
Como ainda não comecei a trabalhar pra valer, combinamos que esta semana seria pra Ana se acostumar com a creche, o marido ia estudar e ajeitar as coisas do trabalho dele (que vai mudar), e eu, nos últimos atos de Isaura (a escrava branca) arrumaria a casa (que diariamente sofre com o furacão Ana Clara!) e terminaria finalmente de pintar o guarda-roupa que vai pro quarto da filhota (é, ainda estamos montando a casa).
E adivinha o que aconteceu... Arrumei a casa mais-ou-menos, o marido fez as coisas dele mais-ou-menos e, ficamos choramingando de saudades da piquitinha o dia inteiro!
O tempo já está frio, mas a casa ficou gelada sem ela. Um silêncio.
Engraçado como ela ocupa TODOS os lugares da casa ao mesmo tempo. E sem ela aqui, ficou... um buraco!
Aí, bate uma incerteza!..

Fico me achando meio egoísta de 'tirá-la' de casa tão novinha... Mas, eu tenho desejado, tanto, esse tempo pra mim, pra batalhar minhas coisas.
Sei que o melhor pra ela é mesmo ir pra creche, interagir com outras crianças, aprender coisas novas. E já foi provado que uma criança que frequenta a creche quando pequena, apresenta um desenvolvimento muito maior que uma criança 'criada' em casa.
E eu visitei a creche, escolhi a que achei melhor pra minha princesinha! E ela foi junto, e gostou!
Então, por que esse nó aqui dentro?..

Fico imaginando essas super-mães que têm por aí, fico com uma inveja!
Sabe, essas que cuidam da casa, dos filhos, trabalham e ainda ficam lindas! Ou as que abrem mão do lado profissional (e até da vida social) e ficam só cuidando (muito bem, é verdade) dos filhos e do marido; tão altruísta!
Eu não sou assim. Amo minha filha, tanto, que só Deus sabe o quanto, mas posso abrir mão de mim. Tem tanta coisa que eu quero fazer ainda!..
Esse drama todo, é pura saudade dela!
Não sou uma 'mãe super-poderosa', nem sei se quero ser, só quero ser a melhor mãe pra minha filha. Só!
As vezes fazendo besteira, mas sempre tentando acertar.

Mas até o fim da semana, a gente se acostuma! Acho que essa história de 'período de adaptação', na verdade, é para os pais!

Bom, vou tomar um cafezinho e buscar minha pituca, que está quase na hora!
;D

Nenhum comentário:

Postar um comentário